Mudez Eloquente

Hoje não quero falar.
O silêncio da alma já lança de si vozerio infernal. Basta!


Hoje não quero ouvir.
O que tens a proferir equivale ao breve elogio fúnebre da inscrição sepulcral. Chega!


Hoje , só desejo o papel e a pena que,
De rabisco em rabisco, é capaz de fazer aquele desenho... 
O retrato calado do meu espírito emudecido.
Oxalá minha mudez te seja eloquente!


Hoje, em meio ao silêncio gritante
Quero apenas fitar os olhos teus;
Erguer minha mão, fazer-te um doce aceno...
E tu hás de me dizer: será um olá ou um adeus?



2 comentários:

José Manuel Brazão disse...

Andréia

Estou eu aqui com o meu carinho agradecendo a sua visita e as palavras lindas que me deixou.

Beijo do ZÉ

MARILENE disse...

Os olhos dirão, sem palavras. Não precisa dizer, ouvir, ou escrever.

Bjs.

Postar um comentário

Seu comentário enriquece e alimenta este blog. Sê bem-vindo, mas não se esqueça que "gentileza gera gentileza". A casa é sua! Bjs Inquietos pra você!